Dar voz aos cidadãos: Debate eleitoral na elaboração da Constituição vintista

Giving voice to citizens: Electoral debate in the drafting of the Vintista (”twentist”) Constitution

Authors

DOI:

https://doi.org/10.21814/perspectivas.129

Keywords:

Liberalism, Popular Sovereignty, Elections, Egalitarian Paradigm, Universal Suffrage

Abstract

The establishment of liberalism and the consecration of the principle of national sovereignty through the
mechanisms of political representation meant not only the involvement of citizens in the governance of each country by essentially electoral means - in the choice of representatives mandated to exercise power in the name of collective interest - but also as the egalitarian consideration of the civic condition, attesting simultaneously to the passage of the subject to citizen and the assumption of the latter as an individual bearing equal rights and duties. It is in this theoretical context that we will frame the analysis of the electoral problem in the initial period of Portuguese liberalism (1820-1823), focusing on the parliamentary discussion that led to the elaboration of our first Constitution (1822) and the determination of social scope of the right to vote.

Resumo

A implantação do liberalismo e a consagração do princípio da soberania nacional através dos mecanismos da representação política significaram não só o envolvimento dos cidadãos na governação de cada país por via essencialmente eleitoral – na escolha dos representantes mandatados para exercer o poder em nome do interesse coletivo – como a consideração igualitária da condição cívica, atestando simultaneamente a passagem do súbdito a cidadão e a assunção deste último enquanto indivíduo portador de iguais direitos e deveres. É neste contexto teórico que enquadraremos a análise da problemática eleitoral na vigência do período inicial do liberalismo português (1820-1823), focando-nos na discussão parlamentar que levou à elaboração da nossa primeira Constituição (1822) e à determinação do âmbito ou extensão social
do direito de voto então consagrado.

Downloads

Download data is not yet available.

References

Almeida, Pedro Tavares de. 1991. Eleições e caciquismo no Portugal oitocentista (1868-1890). Lisboa: Difel.

Almeida, Pedro Tavares de. 1998. Legislação eleitoral portuguesa 1820-1926. Lisboa: Presidência do Conselho de Ministros/INCM.

Almeida, Pedro Tavares de. 2010. “Eleitores, voto e res-política em Portugal, coordenação de Fernando Catroga e Pedro Tavares de Almeida. Lisboa: Assembleia da República/Biblioteca Nacional de Portugal: 60-89.

Aurélio, Diogo Pires. 2009. Representação política - Textos clássicos. Lisboa: Livros Horizonte.

Azimi, Vida. 2003. “Souveraineté nationale et conception française de la citoyenneté.” In Citoyenneté, souveraineté, société civile, direção de Pascale Gonod e Jean-Pierre Du- bois: 21-31. Paris: Dalloz.

Burdeau, Georges. 1979. Le libéralisme. Paris : Seuil.

Canaveira, Manuel Filipe Cruz. 1988. Liberais moderados e constitucionalismo moderado (1814-1852). Lisboa: INIC.

Canfora, Luciano. 2007. A democracia: história de uma ideologia. Lisboa: Edições 70.

Catroga, Fernando, e Almeida, Pedro Tavares de.2010. Respublica – Cidadania e representação política em Portugal. Lisboa: Assembleia da República/Biblioteca Nacional de Portugal.

Coelho, Maria Helena da Cruz. 2006. "As Cortes e o Parlamento em Portugal. 750 anos das Cortes de Leiria de 1254."In Atas do Congresso Internacional, Leiria, 26 a 28 de novembro, 2004. Lisboa: Assembleia da República/Câmara Municipal de Leiria.

Cortes Constituintes. 1999 [1822]. Constituição Política da Monarquia Portuguesa. Lisboa: Manuel Gomes.

Cortes Constituintes.1821-1822. Diário das Cortes Gerais, Extraordinárias e Constituintes da Nação Portuguesa. Imprensa Nacional: Vols. III-IX. Lisboa.

Dubois, Jean-Pierre. 2003. “Citoyenneté, citoyennetés”. In Citoyenneté, souveraineté, société civile, direção de Pascal Gonod e Jean-Pierre Dubois: 49-67. Paris: Dalloz.

Fernandez, Hugo M. 2010. "Discursos de poder na transição do Antigo Regime para o Liberalismo. A emergencia do paradigma igualitário. "Tese de Doutoramento, Universidade de Évora, Portugal.

Garrigou, Alain. 2002. Histoire sociale du suffrage universel en France, 1848-2000. Paris: Seuil.

Goldmann, Lucien. 1984. Epistemologia e filosofia

política. Lisboa: Presença.

Gonod, Pascal, e Jean-Pierre Dubois. 2003. Citoyenneté, souveraineté, société civile. Paris: Dalloz.

Gueniffey, Patrice. 2001. La Revolución francesa y las elecciones. México: Fondo de Cultura Económica.

Hobsbawm, Eric John. 1992. Naciones y nacionalismo desde 1780. Barcelona: Crítica.

Hugo, Victor. 1986 [1862]. Os Miseráveis. Barcelos: Livraria Civilização.

Jardin, André. 1989. Historia del liberalismo político. México: Fondo de Cultura Económica.

Lefort, Claude. 2001. Essais sur le politique, XIX – XX siècles. Paris: Seuil.

Macpherson,Crawford B.1997.Lademocracialiberalysu época. Madrid: Alianza.

Manin, Bernard. 2006. Principes du gouvernement représentatif. Paris: Flammarion.

Marshall, T. H., e Bottomore, Tom. 1998. Ciudadanía y clase social. Madrid: Alianza.

Mónica, Maria Filomena. 1996. “As reformas eleitorais no constitucionalismo monárquico 1852-1910.” Análise Social 139: 1039-1084.

Ribeiro, Maria Manuela Tavares. 2006. “O direito de voto nos debates parlamentares de oitocentos (1820-1851).” In As Cortes e o Parlamento em Portugal. 750 anos das Cortes de Leiria de 1254. Atas do Congresso Internacional. Lisboa:

Romanelli, Raffaele. 2010. “Cidadania e representação política na Europa liberal”. In Respublica – Cidadania e representação política em Portugal, coordenação de Fernando Catroga e Pedro Tavares de Almeida: 290-303. Lisboa: Assembleia da República/Biblioteca Nacional de Portugal.

Rosanvallon, Pierre. 2002. Le sacre du citoyen. Histoire du suffrage universel en France. Paris : Gallimard.

Rosanvallon, Pierre. 2002a. Le peuple introuvable. Histoire de la représentation démocratique en France. Paris : Gallimard.

Santos, Fernando Piteira. 1975. Geografia e Economia da Revolução de 1820. Lisboa: Europa-América.

Schnapper, Dominique. 2002. Qu’est-ce que la citoyenneté? Paris: Gallimard.

Serrão, Joel. 1981. Dicionário de História de Portugal. Porto: Figueirinhas.

Tengarrinha, José Manuel. 1981. “Sistemas Eleitorais”. In Dicionário de História de Portugal, coordenação de Joel Serrão: 290-303. Porto: Figueirinhas.

Published

2018-12-01

How to Cite

Fernandez, H. M. (2018). Dar voz aos cidadãos: Debate eleitoral na elaboração da Constituição vintista: Giving voice to citizens: Electoral debate in the drafting of the Vintista (”twentist”) Constitution. Perspectivas - Journal of Political Science, 19, 23-36. https://doi.org/10.21814/perspectivas.129

Issue

Section

Articles